04
Jun 11

Hoje dança-se quase todo o tipo de ritmo desde o “velho” tango que no início do século XX se propagou aos salões de dança de todo o mundo, à “bela” valsa, passando pelo fox-trot, pelo  xá-xá-xá , que contemporizaram com eles e o twist e o yé-yé que foram as grandes revoluções dos anos sessenta.

Mas danças houveram que caíram em completo esquecimento. O minuete, dança do séc. XVIII, nasceu em Poiton, antiga província de França e teve um grande impacto por todo o país, sobretudo no tempo de Luís XIV. Os salões fervilhavam de damas exibindo grandes tocados, seios desnudos e cavalheiros de perucas brancas e sapatos de enormes fivelas, como ditava a moda de então.

Elegante, miudinho, de movimentos demorados, o minuete era um  verdadeiro “tratado” de arte, desde a colocação do pé, o curvar o corpo, a elevação dos braços, tudo com muita elegância e graciosidade. A música assentava no compasso ternário, andamento vagaroso para acompanhar adequadamente os movimentos da dança.

As mulheres deslumbravam. Ver uma bela dama a dançar o minuete era caso de estontear cabeças, dizia o Barão de Santo André, em 1897. Margarida de Borgonha notabilizou-se na sua execução. D. João de Áustria, vice-rei dos Países Baixos deslocou-se a Paris para a ver dançar.

Muitos escritores de então encontravam no minuete assunto para as suas páginas onde dissertavam, cativando os seus destinatários. Verdadeiros coreógrafos se dedicaram a esta arte, tornando-se verdadeiros mestres.

Com a existência de algumas escolas de “Danças de Salão”, que têm contribuindo de forma significativa a prática de “velhas” danças, porque não recuperar o minuete?

publicado por Ana às 22:02
 O que é? |  O que é? | favorito

Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


arquivos
2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO