21
Mar 20

 

sala.jpg

O Teatro José Lúcio da Silva em Leiria

Após décadas de existência como primeiro polo cultural de Leiria, o Teatro D. Maria Pia, foi demolido e o terreno limpo em 16 de Janeiro de 1959. Com instalações a não oferecerem segurança para os seus frequentadores, com uma lotação muito restrita para a população que usufruía daquele espaço, com a necessidade de grandes obras de remodelação, propôs o Vereador da Câmara Municipal de Leiria, António Augusto Jorge Marçal, em 23 de Janeiro de 1945, que fosse encontrada uma solução para dotar a cidade de um espaço condigno para cinema e teatro.

Em 7 de Outubro de 1957, a Associação do Teatro D. Maria Pia, solicitou ao município autorização para ser construído o “Barracão”, no Largo 5 de Outubro, que permitisse receber espetáculos, pelo período de um ano, tempo necessário à remodelação do Teatro D. Maria. Funcionou muito para além do tempo previsto, em condições sem o mínimo de conforto, de temperatura e de saúde.

Ora, desde a proposta de 23 de Janeiro de 1945 e posterior demolição do edifício do Teatro, a localização do novo edifício foi o ponto crucial do processo, uma vez que tinha caído por terra a construção no primitivo terreno. Foi apontado o Campo D. Luís I, posterior Largo 5 de Outubro, também um terreno da família Serrador na Rua Comandante Almeida Henriques. Chegou a ser expropriado um terreno de Dâmaso Luís dos Santos, na Rua Duarte Pacheco e outra das propostas incidiu num terreno da família Marques da Cruz, a norte do Largo 5 de Outubro.

Outrossim as condições apresentadas pela Associação do Teatro, à Câmara, nomeadamente as indemnizações, originaram muitas negociações, sem sucesso que arrastaram o assunto por muitos anos e que envolveram outras instituições até ao Tribunal Judicial de Leiria, bem como alguns proprietários de Leiria.

Em 13 de Julho de 1962 a Associação renuncia às suas exigências.

Decorria o ano de 1963 e numa reunião extraordinária de 23 de Outubro, o Presidente da Câmara Municipal de Leiria deu conhecimento de uma doação de um leiriense no valor de 5000000$00 (cinco milhões de escudos) para a construção de um cine-teatro.

A Câmara Municipal viabilizaria um terreno e assumiria os compromissos propostos.

A residir em Lisboa, José Lúcio da Silva foi o grande benemérito do Teatro, a que edilidade camarária atribuiu, com toda a justiça o seu nome. A mesma Câmara, propôs ainda, ao Governo,  uma condecoração e deu o nome ao Largo de José Lúcio da Silva.                                      

António Marques da Cruz cedeu umas parcelas de terreno, onde veio a ser construído o tão desejado Teatro, inaugurado em 15 e Janeiro de 1966. A comemorar a efeméride esteve a Companhia do Teatro Nacional D. Maria II de Lisboa, com a peça “Os Velhos”, da autoria de D. João Câmara, presidida pelo Presidente da República e Ministro do Interior.

A primeira sessão de cinema realizou-se no Domingo de 16 de Janeiro do mesmo ano, com a metragem “Lord Jim”, produzida pela Colômbia Films.

O Teatro José Lúcio da Silva foi um dos melhores empreendimentos do século passado em Leiria. Os leirienses ficaram ufanos do seu Teatro. De arquitectura vanguardista, com uma sala de espetáculos espaçosa e confortável, com um palco de dimensões bastante generosas, foi o primeiro teatro do país a possuir quadrifonia. É considerada uma das melhores salas de espetáculo do país.

 

 

[1] https://www.google.com/search?q=teatro+jos%C3%A9+lucio+da+silva+leiria&sxsrf=ACYBGNS_TnFJjuLMOHAYZWQLwSng40bTTA:1581961033676&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwi3rNeLkNnnAhXwzIUKHa5-AuMQ_AUoAXoECA4QAw&biw=1366&bih=657#imgrc=kP8m1hvsuxQX0M

publicado por Ana às 13:59

Março 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

23
24
25
26
27
28

29
30
31


arquivos
2020

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO