13
Nov 18

Da minha própria experiência enquanto mulher de um deficiente das Forças Armadas e da conjuntura do país no final do Estado Novo marcada profundamente pela guerra colonial, ensaiei um trabalho sobre o papel da mulher portuguesa durante esse período.

Como actuou, como viveu, quanto sofreu.

Que dizer do papel das “nossas” mulheres?

No teatro de guerra cabe aos homens o papel principal: decidir a guerra, actuar na guerra, assumir resultados, enfrentar as consequências.

Nos bastidores ficam as mulheres. O guião reserva-lhes apenas o papel sem personagem, sem opinião, sem voz, remetendo-as ao silêncio e à sombra. E é aqui que reside o paradigma da faceta feminina. Ela não entra em palco, mas por detrás do pano é a âncora, o apoio, o porto seguro, o oásis, que nas horas de insónia, de amargura, de medo e de revolta dos seus homens, emerge forte, segura, encorajadora, o grande pilar da estrutura familiar e social, que viveu e sobreviveu a situações dificílimas e a episódios fantasmagóricos.

De forma individual ou colectiva o papel que desempenhou, o contributo que deu, os projectos que concretizou, agindo das mais variadas formas, convergindo para um  único objectivo: o apoio incondicional aos militares portugueses.

Fosse no apoio físico e material, na ajuda psicológica, no seu bem estar em geral, cada uma participou, à sua maneira e de acordo com os seus conhecimentos e meios disponíveis, de forma activa, socorrendo na Cruz Vermelha, assistindo e apoiando no Movimento Nacional Feminino, evacuando feridos com as enfermeiras páraquedistas, motivando através de aerogramas enquanto madrinhas de guerra, levando gravações de vozes de familiares feitas por Estefânea Anacoreta, abrigar e acarinhar pela Mãe Militar, Ilda Fonseca. São alguns exemplos de amor, de cumplicidade, de coragem, de esperança, de determinação. Portugal inteiro deve-lhes o merecido reconhecimento.

A Mulher nas Malhas da Guerra Colonial de Ana Bela Vinagre, publicado pela editora Fonte da Palavra, de Lisboa, em 2011 

 

 

 

publicado por Ana às 16:25

Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO